Redecker quer incluir Natal Açoriano no calendário oficial do RS

18 novembro 2017
520 Visualizações

O Natal Açoriano em Terra Gaúcha, realizado todos os anos entre os meses de dezembro e janeiro, em Taquari, está prestes a ser reconhecido como evento de relevante interesse cultural. Isso porque o deputado estadual Lucas Redecker apresentou projeto de lei na Assembleia Legislativa reconhecendo a contribuição cultural do evento para a cultura riograndense, bem como pede a inclusão das festividades no Calendário Oficial de Eventos do RS. “Sob o aspecto cultural, o Natal Açoriano representa um poderoso instrumento disseminador da cultura e preenche todos os requisitos para ser declarado como de relevante interesse cultural”, afirmou o deputado.

Neste ano, a 26a edição do evento valorizará os talentos locais e será mais curta. A programação inicia no próximo dia 7 de dezembro com o acendimento das luzes das árvores, a “Procissão Luminosa” e as apresentações artísticas. A sequência da programação contará com com shows e apresentações culturais e de dança. No dia 10, é a vez do Papai Noel chegar na Lagoa Armênia e a programação segue até dia 17 de dezembro. No dia 6 de janeiro ocorrerá o encerramento com o tradicional Terno de Reis.

Saiba mais sobre o Natal Açoriano

Em 28 de outubro de 1992, num movimento organizado pela CEF e Comissão formada por pessoas

atuantes na área da cultura, foi elaborado um Calendário de Eventos para o “Espaço Açoriano”. Nesta comissão fazia parte a Profª. Helena Santos da Silveira, coordenadora do Departamento de Teatro, que incluiu no Calendário a realização de um “Presépio Vivo”, na Praça da Matriz, centro da cidade de Taquari. Eis a origem de um PROJETO que se tornou evento natalino reconhecido no Estado do Rio Grande do Sul, o Natal Açoriano em Terra Gaúcha.

Em 1993, a Administração Municipal passou a ser a responsável pela realização do espetáculo, com

o objetivo de ampliar o projeto que apresentava grandes possibilidades na área de cultura e turismo. Nesta ocasião, a comissão organizadora, juntamente com a Administração Municipal, anunciaram a troca de local do evento para as margens da Lagoa Armênia situada no centro da cidade, onde é realizado o evento desde então.

Nas águas e entorno da Lagoa Armênia passou-se a contar a história de Taquari. Os índios Patos e os Jesuítas, iluminados por tochas rústicas, realizavam a travessia do lago em canoas. Os primeiros colonizadores, representados por 14 componentes e de barco, fazem a travessia encenando a chegada dos casais à margem esquerda do rio Taquari. Na sequência celebra-se o nascimento do Menino Jesus, a visita dos pastores e dos Reis Magos, a benção dos Anjos e as oferendas típicas da cultura açoriana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>